Introdução

No País Barrosão existem ainda muitos tesouros por descobrir, a sua gente, a sua cultura, a natureza e as suas tradições.
Tão profundo e genuíno como a história das nossas terras e antepassados é o privilégio de entender, sentir e viver a cultura, a natura e as gentes. É uma das recordações mais belas que poderemos guardar e partilhar, é muito mais do que uma corrida de montanha aquilo que propomos com o Trail Ibérico Vilar de Perdizes. Aqui, a história e as estórias contam-se desde o princípio, por mais remotas que sejam.
Os trilhos do Ultra Trail de Vilar de Perdizes percorrem um vasto Património arqueológico, o Megalitismo (pré–história), no período Neolítico, a Pena Escrita, o Penedo Caparinho , os Castros Celtas e Romanos relembram descobertas como as aras votivas a várias divindades, que os romanos acolheram, relembram ainda o Deus Larouco (Vilar de Perdizes, bem como o Deus Júpiter (Vilar de Perdizes e Chã). Os trilhos percorrem as Igrejas, Capelas, Alminhas e Cruzeiros. E tudo aquilo que não vemos porque corremos, todo esse vasto património está preservado e protegido no Ecomuseu do Barroso, uma ideia e forma de salvaguardar o património natural, cultural, social, económico, contribuindo para o desenvolvimento dos seus habitantes, respeitando e valorizando a sua cultura, local de visita obrigatória. Já depois dos trilhos não nos esquecemos da Gastronomia, por esta altura potenciada pela Feira Do Fumeiro (de 21 a 24 de Janeiro). Com o seu Património Natural, o Barroso constitui uma região, desde a medievalidade, ocupando cerca de mil e cem quilómetros quadrados de superfície.
Enquadra-se na chamada Terra Fria Transmontana, de fortes contrastes climatéricos, com estios de temperaturas elevadas e invernos ventosos e frios. Ainda hoje se repetem dizeres dos antigos sobre a imprevisibilidade e extremos do clima;

“nove meses de Inverno
e três de inferno”;

“primeiro de Agosto, primeiro de Inverno”.

Trail Vilar de Perdizes